© 2018 por Comunicação & Marketing - ACM / YMCA São Paulo

Devocional:

“E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos.”

Gálatas 06:09

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DAS ACMs DO BRASIL

Com base na Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS, na Política Nacional de Assistência Social – PNAS/2004 e na Norma Operacional Básica / Sistema Único de Assistência Social – NOB / SUAS, a ACM / YMCA São Paulo e demais ACMs / YMCAs do Brasil elaboraram sua política com o objetivo de alinhar suas ações na área da Assistência Social à legislação.

 

Assim, fazem parte dessa política, os seguintes princípios:

 

I

Reconhecimento da primazia do Estado na formulação e regulação da Política Pública de Assistência Social;

 

II

Reconhecimento do caráter público das ações de Assistência Social desenvolvidas pela ACM / YMCA São Paulo, enquanto parceira do Estado;

 

III

Respeito à condição de cidadania e à dignidade do usuário, à sua autonomia e a seu direito a serviços de qualidade e ao acesso às demais políticas públicas, vedando-se qualquer comprovação vexatória de necessidade, bem como a exposição de sua imagem sem sua autorização prévia ou do responsável legal;

 

IV

Respeito ao direito dos beneficiários à convivência familiar e comunitária;

 

V

Respeito aos valores culturais, às crenças religiosas, aos valores pessoais dos usuários e às diferenças;

 

VI

Reconhecimento dos valores universais, como base para o desenvolvimento humano e social;

 

VII

Reconhecimento da igualdade de direitos no acesso ao atendimento, sem discriminação de qualquer natureza;

VIII

Reconhecimento da matricialidade sociofamiliar, ou seja, da centralidade da família, como núcleo social básico de proteção e educação das crianças e adolescentes, de acolhida, convívio, autonomia, sustentabilidade e protagonismo social;

IX

Reconhecimento da territorialização e da intersetorialidade, como pressupostos para a operacionalização da Política de Assistência Social, ou seja, reconhecimento da necessidade de integração e articulação desta com as demais políticas, para uma ação concentrada no território de vivência dos usuários, a fim de promover a inclusão social e melhorar a qualidade de vida dessa população.